José António Nogueira Parada Ferreira e Silva

Título de la comunicación / Titulo da comunicação
A fachada da Igreja da Misericórdia do Porto na rua das Flores. Da afirmação institucional às repercussões na paisagem urbana do Porto nos séculos XVIII-XIX

Resumen / Resumo
Situada na Rua das Flores, no Porto, a Igreja da Santa Casa da Misericórdia do Porto constitui um dos edifícios mais notáveis desta artéria, que foi aberta a partir de 1521 de acordo com a indicação de D. Manuel I. A construção da Igreja remonta a meados do século XVI, altura em que a Casa do Despacho da Misericórdia já se encontrava operacional. Foi benzida em 1559 por D. Rodrigo Pinheiro, bispo do Porto, e executada pelo mestre Manuel Luís. Contudo, a bênção da Igreja não significou a sua conclusão. A cobertura da nave e os acabamentos da Igreja decorreram ainda nas décadas seguintes.

Devido a problemas estruturais, em meados do século XVIII, a Igreja foi alvo de uma intervenção profunda protagonizada pelo arquiteto Nicolau Nasoni, que foi incumbido do projeto de uma nova frontaria, e pelo engenheiro Manuel Álvares Martins, que dirigiu os trabalhos respeitantes ao coro e ao corpo da Igreja. A execução do projeto de pedraria coube ao mestre Domingos da Costa e a outros colegas de ofício.

Ulteriores à intervenção na Igreja são os dois projetos urbanos inseridos no programa de renovação intramuros levado a cabo pela Junta de Obras Públicas: a Rua de São João e a Praça de São Domingos. Em relação ao projeto da Rua de São João, que nasce da Praça da Ribeira, caso tivesse sido totalmente concretizado, permitiria vislumbrar de longe o frontispício nasoniano da Igreja. Quanto à Praça de São Domingos, projeto da autoria do cônsul britânico John Whitehead, de 1774, previa uma praça trilátera que não chegou a materializar-se.

A presente comunicação considerará, deste modo, dois momentos: um primeiro, em que se procede à análise do objeto artístico em si mesmo – a frontaria da Igreja – e, um segundo, em que discorreremos acerca das intenções em enquadrar esta fachada no programa de arranjo urbanístico da cidade, na segunda metade de setecentos.


Currículum vitae
Natural do concelho da Maia, José António Ferreira e Silva (jantonio.pfsilva@gmail.com) formou-se em Gestão do Património pela Escola Superior de Educação do Porto (2000). Posteriormente licenciou-se em História da Arte (2003) e fez pós-graduação em Recursos Patrimoniais (2004) na Faculdade de Letras da Universidade do Porto.

Presentemente é doutorando em Estudos do Património nesta Faculdade, sob a orientação do Prof. Doutor Manuel Joaquim Moreira da Rocha, e  investigador integrado no CITCEM – Centro de Investigação Transdisciplinar “Cultura, Espaço e Memória”.

Entre 2006 e 2007 integrou a equipa do projeto de “Inventário do Património Cultural do Concelho de Mirandela”, na qualidade de técnico de história da arte.