Maria José Lopes Casanova

Título de la comunicación / Titulo da comunicação
A construção da representação urbana: desenho, proporção e relações de (des)continuidade do alçado da Associação Comercial do Porto

Resumen / Resumo
Construído para sede da Associação Comercial do Porto sobre as ruínas do extinto convento de São Francisco, o Palácio da Bolsa é um dos edifícios mais significativos da arquitectura do séc. XIX, na cidade do Porto. Sobrepondo-se, alterando e substituindo o anterior convento criou a partir dele um novo edifício, cuja imagem procurava representar a nova realidade social, económica e cultural.

Neste processo de transformação pretendeu utilizar a sua arquitectura como veículo de uma nova mensagem, fazendo recurso a referências arquitectónicas universais para comunicação de uma ideia de monumentalidade. E, a escolha dos modelos arquitectónicos a que o projecto recorre procura garantir, por si, a prossecução desse objectivo. Do mesmo modo, a transformação do modo de percepção da nova fachada pretende invocar um novo entendimento da cidade: da relação entre edifício e espaço público, mas também com a cidade em expansão e com o território alargado.

O presente trabalho procura compreender o modo como esta circunstância se revela no desenho da fachada do Palácio da Bolsa, a partir da prospecção e verificação de relações de proporção e da utilização (ou “manipulação”) das características geométricas do desenho do alçado, e da leitura e interpretação das características formais que constituem a especificidade da sua linguagem e sistema conceptual.

Assim, a comunicação que se apresenta destaca a ideia de análise formal de um objecto arquitectónico entendida como indicação de “elementos e relações”, tendo como objectivo aprofundar as relações que o(s) objecto(s) gera(m), para desvendar os processos da forma. É neste propósito de objectivação de um método de leitura aplicado a uma ideia de sistema que se desenvolveu o processo de investigaçao: como aplicação de uma ferramenta operativa que, ao aprofundar o conhecimento de um objecto, possibilita, simultaneamente, despoletar novas leituras. Mais do que a procura de um traçado regulador o que se explora nesta análise geométrica são relações de proporcionalidade existentes e que articuladas poderão funcionar como ordenação possível do conjunto do alçado.

Currículum vitae
Maria José Casanova (mjcnova@arq.up.pt) e arquitecta, licenciada pela ESBAP (1986). Docente da Faculdade de Arquitectura da Universidade do Porto desde 1987, doutorou-se com a tese “A extinção das Ordens Religiosas e os conventos do Porto: transformação, rupturas e continuidade”(FAUP, 2015).

Professora Auxiliar da FAUP integra actualmente as equipas de docência das UCs “Projecto 3” e “Arquitectura e Desenho 2” – focadas nos temas relacionados com a habitação plurifamiliar – e a coregência da UC “Dissertação” do Curso de Mestrado Integrado (MIARQ).

Em simultâneo exerceu prática profissional nas áreas da habitação e requalificação arquitectónica e urbana, em colaboração com diversos arquitectos. Em coautoria com Vítor Bastos, obteve o Prémio Municipal de Arquitectura/1997 (Habitação Sousa Magalhães), atribuído pela CMda Maia.

Investigadora do Centro de Estudos de Arquitectura e Urbanismo/CEAU-Faup e membro dos grupos de Investigação Arquitectura: Teoria, Projecto, História (ATPH) e Atlas da Casa (AdC), tem como áreas de interesse a relação entre arquitectura e cidade no âmbito da Teoria e da História.