Nuno Paulo Soares Ferreira

Título de la comunicación / Titulo da comunicação
A construção da “fachada” da rua de Santa Catarina da cidade do Porto nos séculos XIX e XX: encomendantes, artistas e formas

Resumen / Resumo
A Rua de Santa Catarina localiza-se nas freguesias de Santo Ildefonso e Bonfim. A planificação desta artéria como hoje a conhecemos ficou a dever-se à intervenção de João de Almeida e Melo e fazia parte do “Plano de Melhoramentos de 1784”. Ao longo dos tempos foi sendo urbanizada, mas foi nos séculos XIX e XX que a construção se adensou. Tornou-se um importante ponto comercial e industrial da cidade, nela se instalando grande parte da media e alta burguesía, o que se irá reflectir em termos arquitectónicos. Os seus dois tramos apresentam diferenças acentuadas. No tramo aberto inicialmente a partir da Praça da Batalha, onde é mais marcada a estrutura ortogonal característica dos Almadas, a habitação vai coabitar frequentemente com o pequeno comércio. Já no tramo que levava à Praça do Marquês de Pombal sobressai a presença de edificios das elites (palacetes e casas grandes), casas inseridas em lotes estreitos e compridos, e em muitos casos formando conjuntos e alguns grandes blocos de habitações colectivas. Nas fachadas predomina o trabalho de ferro (fundido e forjado), cantaria e azulejo. São notórias as referências à arquitectura clássica, aos estilos do neos/revivalismos, à arte nova e às Beaux-Arts, que se conjugam com elementos da casa portuguesa e do movimento moderno (incluido do modernismo radical). A pesar da evolução dos estilos artísticos, os elementos e a arquitectura corrente da cidade mantém-se predominantes. Para tal contribuiu o facto de nesta artéria terem trabalhado nomes importantes da arquitectura da cidade, como os arquitectos José Ferreira Peneda, António Júlio Teixeira Lopes, João Queiroz e Mário Abreu, os mestres de obras José Joaquim de Carvalho e José Coelho Freitas, e os engenheiros Cristiano Jorge de Lima, José Ribeiro da Silva Lima Júnior e Ruy Corrêa de Serpa Pinto.

Currículum vitae
Nuno Ferreira (nunopsferreira@gmail.com) é Investigador Integrado no grupo de investigação TIH – Património Material e Imaterial da unidade de I&D – Centro de Investigação Transdisciplinar “Cultura, Espaço e Memória” (CITCEM).

Doutor em História da Arte Portuguesa (2016, FLUP), sob orientação científica do professor Doutor Manuel Joaquim Moreira da Rocha, bolseiro da Fundação para a Ciência e a Tecnologia. Apresentou a dissertação intitulada “A arquitetura residencial portuense na primeira metade do século XX. Licenciamento de obras, autores, tipologias e morfologias”. Mestre em História da Arte Portuguesa (2010, FLUP).  Realizou estágio no Departamento Municipal de Museus e Património Cultural da Câmara Municipal do Porto. Licenciado em História da Arte (2008, FLUP).

Tem como principais área de interesse: História do Urbanismo e da Arquitectura Moderna e Contemporânea, Património e Gestão Patrimonial, História e Cultura da Cidade do Porto. Tem participado em diversos encontros nacionais e internacionais e possui diversos trabalhos publicados na área.